domingo, novembro 19, 2006

Um mês depois...

Já passou um mês desde que foi feita a primeira apresentação pública do "Ainda há pastores?" O início da nossa aventura foi em Coimbra, na Fnac, a 10 de Outubro.

Desde então cerca de 1000 pessoas viram o filme.
No último mês levámos o documentário a 11 salas de todo o país.
De norte a sul, conseguimos avivar memórias, inquietar consciências, soltar sorrisos, gargalhadas, e até algumas lágrimas.

Em cada cidade, em cada sala, os olhos fixos no ecrã sempre nos deram a cert
eza de que estávamos no caminho certo.

Ao longo desta viagem, que começámos em Outubro e que não sabemos aind
a onde nos vai levar nem quando vai terminar, temos encontrado alguns obstáculos, sentido dúvidas, mas acima de tudo tentado dar o melhor de nós a quem nos tem recebido.

A todos o nosso obrigado!


Aqui ficam algumas fotos das apresentações que fizemos até agora:

A primeira: Fnac Coimbra, 10 Outubro



Cineeco: o primeiro festival






A receptividade ao filme, a presença do Hermínio e a sessão de autógrafos inesperada fizeram deste um dia especial

Sala cheia no IPJ de Coimbra

Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz

Quase 400 pessoas viram o filme nesta noite

Fnac Cascais


A passagem pelo Porto: Norteshopping, Gaiashopping

Santa Catarina
No IPJ de Castelo Branco, a convite da Alma Azul


Fnac Almada

13 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Antes de mais os meus mais sinceros Parabens a esta equipa... Tive conhecimento do filme atraves de uma amiga de Coimbra (Tininha), e depois de ela muito falar do vosso filme, fiquei curioso e fui espreitar. Fiquei fascinado desde o primeiro momento.
A vossa dedicaçao e esforço está retratada naquele fantastico documentario.

A todos as minhas sinceras felicitações e aguardo noticias vossas em breve.

18:04  
Anonymous Cristina-Recheio said...

Conheci o Jorge, há alguns anos, quando ainda era um estagiário de Operações(o que sofri com o estágio dele). Trabalhamos juntos alguns anos(sempre a abrir) Fiquei emocionada quando vi a reportagem. Não há palavras.
Felicidades para a equipa e um grande beijo para o Jorge.

18:35  
Anonymous Marina said...

Realmente... o que se ve é um misto de choro e riso é fantastica a forma como se cansegue misturar os sentimentos, o filme está divino, espero voltar a vê-lo e voltar a ver outros trabalhos feitos pelo Jorge, um RP fantástico... adorei cada momento... espero que muitos mais possam ve esta obra pois está divina...Beijos e muitos sucessos
Marina - V.N.Gaia

10:57  
Blogger SoNosCredita said...

Parabéns!

Estive no IPJ de Coimbra.
Dia 5 de Dezembro estarei no auditório da ESEC...

13:03  
Anonymous Anónimo said...

Tive conhecimento do filme e deste Blog por um link numa noticia em www.radioboanova.com. Agora, despertou-me o interesse e irei ver o seu filme a Seia no dia 23. Felicidades e espero que seja o primeiro de muitos, e fico satisfeito que tenha escolhido a "minha Serra" para sua estreia.

19:42  
Anonymous Carolina Ferreira said...

A toda a equipa do "Ainda há pastores?":

Muitos parabéns por trazerem às novas gerações este retrato do velho novo Portugal, deste mundo rural que muitos desconhecem e que constitui grande parte do ser português. É uma ode aos muitos Hermínios deste país. Pessoas genuínas e verdadeiramente livres...

09:41  
Blogger faty said...

Jorge Pelicano e equipa, os meus mais sinceros parabéns pelo tema e realização deste documentário.
Apenas vi o que é aqui apresentado, mas assim que tenha oportunidade irei vê-lo na integra.
Desejo o maior sucesso!
Aplausos,
faty

17:47  
Anonymous Anónimo said...

Ola!

Fiquei fascinado quando vi a apresentação na tv, por outro lado fiquei muito triste por o ter perdido, quando veio cá ao Porto!:(

Sera que vai voltar?!espero que sim!Para quando?

Obrigado.

21:19  
Blogger lapisvoador said...

Jorge, só bons amigos me podiam levar até este teu belíssimo doc não me conheces de lado nenhum, mas do meu imaginário infantil ainda "pastam" algumas imagens desses encantadores flautistas que largavam seus sons lá para as serranias bem altas, dos meus (nossos)lugares Alto-Durienses bem em terras chamadas de Lamego.Sou absolutamente uma ovelha do teu rebanho...continua. Já agora visita o: lapisvoador.blogspot.com.Vemo-nos por aí. Ate breve.

00:19  
Anonymous Anónimo said...

Cresci nas sombras de memorias contadas pela minha mae (pastora), pelos meus tios (pastores) e ainda algumas muito mais longinquas... as do meu avo. Nunca duvidei "da dura vida" recontada nas suas estorias, ainda hoje se consegue ver nas rugas do seu rosto as noites de frio e as "cieiradas" passadas.

Foi essa a realidade portuguesa com que foi crescendo mas nunca a vi... ate agora.

Espero que seja apresentado fora do pais a comunidade de emigrantes e aos seus filhos que como eu se orgulham muito deste passado e anseiam por preencher este vazio, esta suadade que se sente de uma identidade que é a nossa mas que nos escapa.

por 2:18 minutos vi pastores em Nova york!! Ai, que lhes fico tao grata!

Maria

14:05  
Anonymous Anónimo said...

Cresci nas sombras de memorias contadas pela minha mae (pastora), pelos meus tios (pastores) e ainda algumas muito mais longinquas... as do meu avo. Nunca duvidei "da dura vida" recontada nas suas estorias, ainda hoje se consegue ver nas rugas do seu rosto as noites de frio e as "cieiradas" passadas.

Foi essa a realidade portuguesa com que foi crescendo mas nunca a vi... ate agora.

Espero que seja apresentado fora do pais a comunidade de emigrantes e aos seus filhos que como eu se orgulham muito deste passado e anseiam por preencher este vazio, esta suadade que se sente de uma identidade que é a nossa mas que nos escapa.

por 2:18 minutos vi pastores em Nova york!! Ai, que lhes fico tao grata!

Maria

14:11  
Blogger Mafalda Azevedo said...

Caro Jorge,

Vamos pôr mãos à obra para conseguir a tal sala?

Um beijinho,
Sofia e Mafalda

16:58  
Anonymous Anónimo said...

Parabéns ao Jorge Pelicano e à Cátia Vicente.
Vi ontem à noite o doc. No TGAV e fiquei surpreendida com o que vi.
Emocionei-me, identifiquei-me e apreciei cada plano, cada passo daquelas personagens.
Parabéns por serem titulares de uma sensibilidade que vai rareando nas pessoas com as quais me cruzo todos os dias
Por tudo Obrigado!
Fernanda Mexia

12:15  

Enviar um comentário

<< Home