quarta-feira, janeiro 31, 2007

"Rosa Brava" - Grande Reportagem na SIC




“Ainda há Pastores?” tornou pública a história de Rosa, uma menina de 14 anos que os pais tiraram da escola e transformaram em pastora. Jorge Pelicano e Pedro Coelho, repórter de imagem e jornalista da SIC Televisão, respectivamente, foram recentemente aos Casais de Folgosinho reencontrar a Rosa.

Acaba de fazer 16 anos. Mais física do que cerebral, Rosa alimenta os sonhos naturais à recta final da adolescência. A menina-pastora vive a 40 minutos, de jipe, da terra, Folgosinho, onde gostaria de viver e onde acontece tudo o que, verdadeiramente, a agarra à vida.

Os vales da serra, de onde não consegue escapar, não encontraram forma, apesar da beleza que deles transpira, de a segurar. Rosa já fugiu de casa. Passou uma semana em Folgosinho, longe da família que lhe destruiu o sonho de ir à escola.

O dia-a-dia de Rosa, pastora de cabras e de ovelhas, condutora de uma junta de bois e, nas horas vagas, agricultora, transformado numa grande reportagem televisiva.

"Rosa Brava" é uma grande reportagem de Pedro Coelho e Jorge Pelicano com edição de imagem de Ricardo Tenreiro e grafismo de Agostinho Ribeiro e Carlos Carneiro.

Domingo, 4 de Fevereiro, a seguir ao Jornal da Noite da SIC. Veja aqui a apresentação na SIC.

35 Comments:

Blogger yyk1986123 said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

15:21  
Blogger Daniel Pereira Fernandes said...

Não vou perder a opurtunidade de ver.

Cumprimentos!

17:16  
Anonymous Beira-Mar said...

Parabéns, teus pais estarão certamente muito felizes por ti.
O Fernando Alves continua a ser um senhor, com uma voz unica.
Abraço
Beira-Mar

22:09  
Anonymous tininha said...

... Ficarei à espera. É sempre um parazer ver os teus trabalhos... beijinho para ti jorge

23:05  
Anonymous Anónimo said...

Já várias vezes me manifestei sobre este documentário, aqui, com os meus amigos, enfim... quanto gosto deste trabalho, as razões pelas quais continuo a gostar.

Desde a primeira visualizaçã do Ainda Há Pastores? que esta miúda, a Rosa Brava, me ficou na cabeça...

Faria setido para a Rosa, em criança, dizer "quando for grande quero ser...quero fazer..." A Rosa já é quase uma mulher e provavelmente ainda não fez nada do que tinha sonhado...

São sonhos esquecidos e a liberdade negada a esta miúda.

Confesso que me custa aceitar isto, principalmente porque os olhos e o sorriso dela continuam a sonhar.-)

Mais uma vez, parabéns pelo trabalho equipa!!!

09:14  
Blogger rutinha said...

lá estarei no Domingo frente à tv, se possível com o meu pai (filho de Folgosinho) a ver a vossa reportagem! obrgdo por nos presentearem mais uma vez com o vosso talento.rute carreu

11:48  
Blogger N.M said...

Vou esperar pelo 4 de Fevereiro para ver esta reportagem.Parece ser interessante!
Parabéns por este blog!!!

15:12  
Blogger Letraletra said...

Olá Jorge!Olá Equipa do Jorge!Desde o 1º "Ainda há pastores?" que fiquei "agarrada" a esta história que agora se vai transformar em reportagem.Quando vemos estas realidades, perguntamo-nos como é possível que existam, ainda, no nosso país, no sec. XXI. Para alguns de nós citadinos, mundanos, consumistas, não há lugar para estas realidades, nem em pensamento...para outros, estas realidades não são algo tão distante, como já tive oportunidade de dizer ao Jorge. Infelizmente para cada um de nós, habitante deste país, preocupado com os outros, as "Rosas" não são assim tão raras.É bom que os olhos, as câmaras, as palavras de alguns as façam sair do isolamento, da privacidade e da privação.Obrigada a todos Vós pelas vossas reportagens.Que a Vossa força não esmoreça porque há muito para mostrar e destapar.Cá estou à espera de domingo à noite, cá estou na minha campanha privada de angariação de um "cabaz de solidariedade" para a Rosa e sua Família! VeraBaetaLima, Estoril

12:22  
Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

20:00  
Anonymous Anónimo said...

Mais uma vez MARAVILHOSO!!!
PARABÉNS

21:41  
Anonymous Anónimo said...

Sinceramente?Adorei o documentário "Ainda há pastores", mas isto, isto já parece exploração!Aquela triste cena da segurança social, da professora que só lá apareceram porque estava lá a televisão e vocês a exporem assim a vida de pessoas que nem sabem o que são dreitos de imagem. Já contaram a história, agora deixem-os estar...para que alimentar expectativas?!Continuo a achar o primeiro documentário excelente, quanto a este acgo que tom~baram no exagero.

10:13  
Blogger ergela said...

Os vossos documentários têm o condão de me comover e relembrar situações que vivi exactamente no mesmo sitio há muitos anos,onde por vezes estava muito perto da felicidade plena.Muito,e muito obrigado.

Nota:POR FAVOR alguém ajude aquela pobre moça.

13:57  
Blogger JOSÉ FARIA said...

Parabéns a toda a equipe deste trabalho, da Reportagem na SIC e deste Blogger.
Parabéns à Pastorinha "Rosa Brava".
Uma vida difícil de sacrifício, e para os páis da pastorinha também!
Trabalho árduo na pureza e paz do monte, entre o céu e a terra.

Permitam-me deixar aqui uns versos dedicados aos vosso trabalho e à Pastorinha:

ROSA BRAVA

Ainda o dia não nasceu, já eu no campo,
Nesta terra que eu removo com a enxada,
Bebo da água do rio e o seu canto,
Do avesso viro a terra já cansada.

Levo o rebanho a encontrar o alimento,
Faço letras no caderno, entretimento,
Corro o monte, lés a lés, gadelha ao vento,
Desejando um outro mundo, um outro tempo.

A pastorícia não me dá grande trabalho,
Mas me leva o tempo todo, sem horário!
Sou da terra e a terra é vossa, quanto valho?
Valho o vosso alimento e o meu fadário.
Tenho o rouxinol aqui o dia inteiro,
Meu amigo que me alegra o pensamento!
Lembra-me um mundo melhor, é companheiro,
Com seu canto, meu desejo vai no vento.

Força menina Pastora "Rosa Brava".

José Faria

00:09  
Blogger Francisco Rodrigues said...

Infelizmente não vi. Imperdoavel.será que vai repetir na Sic noticias?

15:50  
Anonymous sandra said...

eu vi,duas vezes a reportagem e pelas duas vezes nao consegui conter as lagrimas, senti que o sorriso da rosa era uma autodefesa para nao chorar, gostava de ir as montanhas e abraçar a "heidi" durante muito tempo

14:58  
Anonymous rui da silva said...

alguem me pode arranjar o numero da rozinha?...gostaria mt de falar com ela...abracos..ficarei á espera...

00:29  
Anonymous Anónimo said...

bom, mt bom

00:48  
Anonymous Anónimo said...

ola. Es mesmo tu? o jorge? o blog e mesmo teu? ;) nem sabes...fico mesmo feliz por ter encontrado algo onde te possa dirigir umas palavras. vi hoje a reportagem pela segunda vez...passou na sic outra vez e fiz questao de a ver novamente ate ao fim porque queria mesmo retirar o nome da pessoas que trabalhou com aquelas imagens.. ! sou estudante de cinema (covilha)e vi a reportagem do principio ao fim talvez um pouco diferente das outras pessoas...vi-a de uma prespectiva mais tecnica... ta absulutamente linduh mesmo! no verdadeiro sentido da palavra. pra começar o proprio argumento vale um oscar...aquela historia...aquela menina...aquela vida...aquela serra...nao consegui conter as lagrimas...que revolta, aserio. depois....os aspectos tecnicos...adorei a fotografia principalmente aquelas onde prezavam as texturas...a montagem ta brutal...aserio..adorei.nao sei quem es, nao sei nada sobre ti mas adorava falar contigo. contacta-me se vires esta mensagem...please.

um grande beijinho
s_ferrador@hotmail.com
susana ferrador

http://www.youtube.com/profile?user=susanaFERRADOR

01:03  
Anonymous Maria said...

Já apanhei a reportagem quase no final(ontem, Domingo ao principio da tarde) e gostei muito, embora a presença das técnicas vindas de Gouveia(?)- foi a apartir da sua chegada que vi a reportagem- me tenham parecido deslocadas na forma como abordam a Mãe da Rosa...fico a pensar se ela levará tantas estaladas como as prometidas na reportagem e também espero que consigam fazer alguma coisa por ela! Pelo sorriso, pela ingenuidade da Rosa e pela Beleza tão dura para ela daquela paisagem Gostaria de rever esta reportagem. Por aquilo que aqui li, foi já a 2ªvez que foi exibida.
No meio de tanta coisa medíocre que nos entra porta dentro, estes programas deveriam ter uma maior divulgação.
Parabéns aos autores do filme e se souberem que vai ser exibido na Televisão, por favor anunciem neste blog.
Um abraço
Maria

15:05  
Anonymous Anónimo said...

Fiquei com muita pena da Rosa!!!!
Tenho 18 anos (um pouco mais velha do que ela) e vejo tanta gente na minha escola que não quer nada com os estudos...
E custa-me acreditar que ainda existem pais que tenham uma mentalidade tão retrograda...

18:46  
Anonymous Anónimo said...

gostei muito de ver a reportagem feita por a sic. sou uma menina de 12 anos que andava a pesquisar informaçoes para um trabalho e gostei tanto do vosso trablho que acabei por comentar.

23:10  
Blogger rui said...

gostei muito da tua reportagem es muito bonita gostava de te ajudar eu tambem ja trabalhei no campo gosto de fazer essa vida trabalhar a beira dos animais gostava de te conhecer pessoalmente bjs ate um dia destes

13:20  
Blogger ana said...

ola quero dizer que adorei a reportagem ,e que tive imensa pena da menina visto que os pais ja nao sao novos ,esta menina nao sabe nada da vida para alem das montanhas,e mas pena e ela ja nao ser obrigada ir a escola e nem mesmo por vontade dela.Desejo a toda a equipa os meus parabens.

22:12  
Blogger ana said...

ola quero dizer que adorei a reportagen e deu-me imensa pena a menina, visto que os pais nao sao muito novos e esta menina nao saber como e realmente a vida por detras da queles montes , e e pena ela nao ter idade para ser obrigada ir a escola e tambem nao poder ir porque os pais nao queres, e uma vergonha e a lei devia ser revida nestas situacoes , mais uma vez muitos parabens pelo trabalho magnifico da equipa. anabela suica.

22:12  
Anonymous Ana said...

oi eu adorei a reportagem e gostava mt de entrar em contacto com a Rosa se me pode-se ajudar agradecia.

22:21  
Anonymous Joao Santos said...

ola,
ja vi varias vezes a 1ª reportagem da Rosa e vi também as varias reportagens. conheço aquela zona desde que nasci e conheço aquelas gentes de lá. tambem eu sou da serra da Estrela. considero muito bonita e comovente a historia e tudo que fizeram pela menina. contudo acho que a forma como trabalharam o assunto tocou um pouco no exagero e foi muito "para ingles ver".

ha pontos a ter em conta como o facto de o pai ter idade para ser avô da menina e a mãe filha dele, ou mesmo a pobreza mental de ambos, não esquecendo também que dentro da cabeça deles o mundo ainda é igual há 50 anos atrás. tudo isto influi a vida e o pensamento da pequena rosa. nao é a televisao ou a gnr ou a assitente social ou a delegada de saude ou mesmo o presidente da camara (que aproveita para aparecer na televisao e divulgar a sua terra mortiça) que em dois dias resolvem o assunto. a pequena "heidi" como ja aqui lhe chamaram é a pureza em pessoa no seu meio, porque quando retirada dele, é de carne e osso como os outros e nao sabe lidar com tanta fama e oportunidades de uma vez só. ela tem imensas dificuldades de aprendizagem e está muito atrasada e continuo a defender que o que a "rosita" quis nao foi estudar, mas sim sair dos casais de folgosinho de junto dos pais.

mas portugal precisava de uma pequena novelinha para ver os "broeiros saloios" e ter um pouco de pena e lançar um pequeno pássaro do ninho que embora tenha corpo de adulto tem mente de criança e serviu para dar umas audiências.

contudo, acho que a reportagem está tecnicamente perfeita e que o cenário nao poderia ser mais bonito.

10:48  
Blogger ana_avillez said...

Adorei a Reportagem, só achei extremamente ridiculo o Presidente da Camara. Acho que ele devia ter aproveitado a oportunidade para dizer que ela tinha que se agarrar aos estudos e ser alguem, e não o ridiculo de falar no rapazinho da secretária ao lado. Foi baixo e sem nível. As crianças devem ser incentivadas a estudar, e não a namorar, a natureza já se encarregará disso por si só. Ela deveria ser um exemplo para tantas outras Rosas deste país.
Parabens à Sic,
Ana

00:07  
Anonymous Sabes! said...

Ola nos somos os esa bravos "e os sonhos q temos sao todos com rapazes" x)

Vai cavar batatinhas e esperar q um rapaz te entre pela janela!

Tu qeres e levar no pito

Taum nova e ja com tanta vontade!
Toma juizo!

12:47  
Anonymous Um Português said...

Há muito que queria dizer o quanto detestei esta reportagem! Serei a única pessoa?

Porque não gostei? Pela forma como foi explorada. Não gostei do texto, sempre muito poético, mas extremamente tendêncioso.

Não gostei de ouvir o Pedro Coelho a entrevistar a Rosa da seguinte forma: "Tu não gostas destes montes, pois não?" - e que tal fazer a pergunta sem já colocar a resposta?

Outra razão pela qual não gostei, é a forma como retratam aquelas pessoas simples, mas com ausência de maldade e um grande coração por os terem acolhido. Há algo em todo o teor da reportagem que, sinceramente, me repulsa.

Pareceu-me que os pais permitiram que a filha fosse estudar. As responsáveis da escola ficaram de ir ter com eles para terem uma conversa e não apareceram. Claro que para pessoas simples, mas cujo o valor da palavra é total, essa falha os fez recuarem na decisão.

Rosa quer sair e tem esse direito. Os pais conhecem aquela vida e não merecem recriminação. Um dia também foram como Rosa e tiveram os mesmos sonhos, típicos de criança.

Não gostei da forma como os reduziram. Como reduziram o valor de quem sabe pastorar. Afinal, que mal tem em se ser pastor?

Se calhar deviamos ir aprender com eles, os pastores "saloios" alguns valores que nos escapam.

PS: Alguém aqui mencionou se a Rosa terá mesmo levado tantas estaladas como as prometidas. Esta forma de lidar com crianças para as "criar direitas" e não as deixar cair "em desgraça" não é exclusiva desse meio rural isolado e dessa gente simples. Lisboeta de terceira geração que sou, tive o mesmo género de palavreado a pautar o meu crescimento. E concluí por observação própria que semelhante educação recebeu grande parte da população, talvez porque as mudanças sociais foram tão significativas tão rápidamente, que não deu para alterar essa forma de educar da maioria da população, que era na sua maioria analfabeta e rural, a crescer com dificuldades para comer todos os dias.

00:38  
Blogger liliana said...

sou pima afastada de rosa brava mas nao a conhecia....
espera que tenha muito sorte na vida.
estao de parabéns que fez a reportagem e graças a eles conheci mais uma pima...
espero que façam mais filmagens com la...
Liliana

22:13  
Blogger Jorge Cardoso said...

Lindo !
Agora, nao ha duvida que o isolamento e' terrivel, mas ha' comunidades onde os pastores vivem em proximidade de outros. No concelho de Celorico da Beira nao falta de pastores. Ate, o concelho tem orgulho em dizer que e o Capital do Queijo da Serra. Agora sem pastores, nao ha' queijo!

Num tempo em que tanto se fala de 'sustentabilidade' esta profissao tem que sobreviver.

Infelizmente, vejo pouco de apoio para esta profissao ou maneira de viver. Nao nas escolas e nao na imaginacao do proprio portugues com um demasiado modernismo.

09:41  
Blogger Jorge Cardoso said...

Lindo !
Agora, nao ha duvida que o isolamento e' terrivel, mas ha' comunidades onde os pastores vivem em proximidade de outros. No concelho de Celorico da Beira nao falta de pastores. Ate, o concelho tem orgulho em dizer que e o Capital do Queijo da Serra. Agora sem pastores, nao ha' queijo!

Num tempo em que tanto se fala de 'sustentabilidade' esta profissao tem que sobreviver.

Infelizmente, vejo pouco de apoio para esta profissao ou maneira de viver. Nao nas escolas e nao na imaginacao do proprio portugues com um demasiado modernismo.

09:41  
Blogger Jorge Cardoso said...

Lindo, poderoso e importante filme.

Claro essa isolacao e' tragica.

Mas ha' bastantes pastores que vivem em comunidades.

Creio que num tempo em que tanto se fala de sustentabilidade, e produtos autenticos, ha' de haver um papel para o pastore.

Infelizemente nao vejo muito apoio, comecando nas escolas, para isto. Parece que esta sociedade tao preocupada com modernidade nao valoriza isso que ja tem.

Sera que a unica opcao para a Rosa e' um completo abandono do seu lar? Nao ha' meio termo? Havera' profisionalizacao que diz respeito a' vida agraria?

09:49  
Anonymous Anónimo said...

o que eu estava procurando, obrigado

13:04  
Anonymous Anónimo said...

Ainda me lembro da primeira vez que vi a reportagem como se fosse hoje e já foi há uns aninhos

18:55  

Enviar um comentário

<< Home